terça-feira, 8 de novembro de 2016

ATÉ QUANDO?

 Acredite ou não, mas eu nem sempre me importo.
Acredite ou não, mas nem sempre você é fofo como pensa ser.
Acredite ou não, mas às vezes você realmente esta incomodando e, por educação eu falo que não.
Acredite ou não, mas eu não aguento mais ter que ficar te dando conselhos sendo que você não segue nenhum deles(tudo bem que isso não é obrigatório, mas poderia valorizar?).
Acredite ou não, mas todos os dias eu me pergunto até quando eu vou ter que te levantar criando bons pensamentos para você, só pra ver feliz e mesmo assim, você fingir que não viu e continuar com a melação de sempre.
Alias, acredite ou não, mas eu odeio toda essa melação que apenas levanta seu ego e te faz se sentir amado e me machuca por dentro de um jeito que eu não consigo explicar.
Acredite ou não, mas eu não gosto de ficar todos os dias respondendo se gosto de você ou não, porque isso realmente cansa.
Eu só queria saber até quando? 
Sabe isso me machuca também! Varias vezes pensei o quanto eu fui e ainda sou idiota, para te dar toda essa atenção, que 10 minutos depois você joga no lixo. E mesmo assim volta, porque sabe que o burro aqui vai te dar afeto, vai te dar um ombro para chorar. 
Faço desse texto um alerta, o "quando" não vai demorar para chegar e se fosse você não gostaria de estar perto nesse momento. 


quinta-feira, 1 de setembro de 2016

"Medo de mim"

          Felipe era um garoto de 12 anos, e como qualquer criança ele tinha uma sonho. Queria ser malabarista. A vida do garoto poderia ser muito feliz, porém ele não levava jeito com malabares. Sua mãe lhe inscreveu em uma escola de circo e ele ficou maravilhado com todo esse universo. Com o tempo, Felipe percebeu que tinha certo medo de palhaços, o que era estranho, pois além de malabares ele também fazia aulas para ser palhaço. 
           Os anos foram passando, e o jovem malabarista se tornou um grande palhaço malabarista. O que chamava a atenção,era que ele não se olhava no espelho para fazer a maquiagem, aliás, quando estava de palhaço tremia só de saber que existia um espelho por perto. E assim ele vivia, fugindo de si mesmo, perdido no próprio subconsciente. Sim, o jovem tinha mesmo medo de palhaços. Mas em uma noite, antes do espetáculo começar, ele decidiu se olhar no espelho. Um dúvida sempre vinha a sua cabeça, "riem de minha arte ou da maquiagem borrada?". De frente para o espelho,que estava coberto, um pedido que fazia com muito carinho a seus colegas. Respirou fundo e tirou o tecido que cobria a moldura. De súbito seu corpo travou e uma crise de pânico tomou seu corpo.Queria correr mas suas pernas não saiam do lugar. Ficou parado lá até a morte, uma morte silenciosa, sem chamar muita atenção. Quando o encontraram, disseram "Quando se olhou no espelho viu um palhaço e teve uma crise" o que não sabiam era que, o motivo da morte de Felipe não foi seu medo de palhaços,mas sim o medo que sentiu quando descobriu seu verdadeiro eu.

Mateus Taborda Rosa
agosto de 2016

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Pais caretas ou filhos confusos?

 Nos dias atuais, são inúmeros os confrontos que ocorrem em nossa sociedade pública. Além disso, o que mais se escuta falar, nas rodas de conversa do "mundo adulto", é que os filhos estão cada vez mais rebeldes e os pais estão perdendo o controle, enquanto avós atormentam argumentando que se os responsáveis da criança e/ou do adolescente fossem mais rigorosos não seria bem assim. Mas será mesmos que a culpa é só dos pias? Ou dos filhos? Muito provavelmente, seja de ambos os lados. Tomando por base os dias atuais e toda a conjuntura ético-social em que vivemos, estamos cada vez mais preocupados em criar nossos filhos para o marcado de trabalho e prepararmos eles para o mundo adulto. O que não nos damos conta é que isso pode afetar o desenvolvimento da criança, causando as conhecidas revoltas na época jovem da vida do individuo. Logo, se deseja tratar seu filho com adulto, cuidado com frases indevidas e de o devido tempo para que a infância seja tranquila e sem transtornos. Decida se vai tratar ela(ele) como uma criança, ou como um colega seu de serviço. Esclareça as situações familiares, as dividas da casa, o quento se deve gastar ou não e o consumo consciente de todo o dinheiro que sustenta a casa. O fundamental acima de tudo é o diálogo, esclarecer não só as atividades de dentro de casa, mas introduzir questões que abordam outras causas em nossa sociedade. Feminismo, a causa LGBT,questões de gênero política, as demais formações de família, não só as convencionais com pai mãe e filhos, mas esclarecer que família é um grupo de pessoas que vivem juntas e criam laços fraternais. Juntando tudo isso, podemos esclarecer confusões de filhos e deixar pais menos caretas. Não adianta que pais queiram filhos melhores se eles não mudarem, e não faz sentido que filhos queiram pais melhores se também não fizerem a sua parte. 

segunda-feira, 7 de março de 2016

"Bichas - o documentário"

Atenção senhoras e senhores, menino, menina, você drag queen. Que sentiu o cheiro de bicha neste post, pode continuar lendo já que "BICHAS - o documentário" é a nossa indicação de vez. Bruno, Igor,Italo, Orlando e Peu são bichas. Não vejam isso como algo preconceituoso. eles se assumem assim e dizem isso como se pedisse pão na padaria. Cada um deles conta, como foi a aceitação familiar, como eles se desenvolveram na escola e como driblaram o preconceito escolar. As coisas vão desde tratamento psicológico a uma zuada com o homofóbico do colégio.O preconceito foi grande, houve quem tentou suicídio, mas eles estão felizes, e hoje falam abertamente sobre isso, afim de ajudar aqueles que ainda tem medo se serem felizes.   O documentário foi lançado no youtube dia 20 de fevereiro desse ano, mas já passam das 100.000 visualizações. São comentários com certo humor negro, mas carregados de muita emoção. Se você não pertence a comunidade LGBT, e esta curioso para ver o documentário, se prepare para rever seus conceitos de comentários sobre o assunto. É pai, e tem um filho gay ou desconfia de algo? Cuidado com os comentários! A principio podem parecer inofensivos, mas no fundo...
Bom esse á dica da semana!
segue o link do vídeo:
https://www.youtube.com/watch?v=0cik7j-0cVU
espero que gostem

"Eu Matei Minha Mãe"

ATENÇÃO ESSE TEXTO PODE CONTER SPOILERS


Adolescência difícil? Brigas constantes com seus pais? Isso é por que você ainda não assistiu "Eu Matei Minha Mãe" de Xavier Dolan. Ganhador de três categorias no Festival de Canes, o filme, segundo o próprio diretor e também roteirista, serve com uma especie de autobiografia. Dolan, estreia como diretor aos 20 anos, com um roteiro feito aos 16 anos. Filho de pais separados Humbert (Dolan), homossexual tentando se assumir, tem constantes brigas com a mãe, interpretada por Anne Dorval. Sem muito contato com o pai, o menino dono de um ego maior que o próprio corpo, tenta se colocar no mundo adulto. Herdeiro único de uma herança que sua vó deixou, ele conta os segundos para poder pegar todo o dinheiro para sair de casa e aparentemente nunca mais ver a sua mãe. Mas, como ainda tem 16 anos a mãe usa disso como chantagem para que o garoto se comporte, como ela deseja. Humbert, parece invejar a mãe do namorado, uma mulher que aparenta ter a mesma idade de sua mãe, mas com uma cabeça totalmente liberal e jovem. Anne Dorval, interpreta uma mãe cafona e com estilo mais cafona ainda. O que deixa o jovem, por muitas vezes surtado. Afim  de se livrar do peso das brigas e desabafar com alguém, com sua câmera, grava depoimentos, relatando como é a vida com a sua mãe. Até que em determinado momento, o colégio solicita  que os alunos realizem uma entrevista com seus pais. Humbert, alega que não pode fazer o trabalho, já que sua mãe esta morta. A professora se mobiliza, e diz que ele pode fazer o trabalho com a sua tia.A mãe, descobre a atitude do filho, e vai ate a escola no horário da aula para tirar satisfações com o garoto. ele foge assim que o sinal toca, a professora, mesmo que não podendo fazer isso, sai com seu carro e vai atras do garoto. Aluno e professora a partir dai. criam uma grande amizade, são as cenas que mais tem humor negro. Quando o garoto foge, a pra casa da professora que ele vai. De tanto ver, a boa relação que o namorado tem com a mãe, Humbert, acha que já é hora de, se assumir pra mamãe,  contar toda a verdade. E decide agradar a mãe durante o dia, para no jantar contar tudo o que precisa ser dito. Mas durante a tarde, a mãe vai com uma amiga, fazer bronzeamento artificial. Chegando lá, ela encontra a mãe do namorado do filho, e de repente surgi o seguinte cometário " Que maravilha nosso filhos não? Dois meses juntos" A mãe de Humbert fica extremamente, chocada, perdida. Se cria um clima tenso na atmosfera do filme. Talvez por motivo de vergonha ou para tentar separar o garoto do namorado, Humbert é mandado para um colégio interno. Em um dos finais de semana de folga, o garoto, de volta a sua cidade, vai pra uma festa, e faz o uso de drogas. Assim que ele chega em casa, ainda drogado, ele faz um acerto de contas com a mãe, e acha que não vai mais voltar para o colégio interno, ele fica "em paz" com a mãe. Mas, depois de chegar em casa de uma saída com o namorado, ele encontra uma correspondência em casa, confirmando sua rematricula no internato. ai ele quebra tudo, mas arruma depois, para ter uma conversa seria com a mãe. O menino, mesmo contra sua vontade, vai para o colégio. Só que dessa vez ele foge e deixa uma carta, endereçada a mãe com a frase, "estou no meu reino", o reino do garoto se trata da casa de praia, onde ele morava com os pais, antes da separação. No caminho o jovem leva uma bronca do seu namorado, "sim Humbert, sua empregada, sua puta! Você não se importa com os outros não é mesmo?!" Logo, a mãe chega e encontra o namorado, que diz que Humbert, esta nas pedras. O filme termina com cenas do mãe e filho, que durante todo o filme discutiram, se dando bem, e brincando entre as pedras e o mar.
"Eu matei minha mãe" Trata dos dramas da adolescência, de uma maneira real, e conturbada. Com cenas em p/b, e cortes de uma bela fotografia, o filme de primeira mão impressiona quem assiste.
Bom, ai fica dica.
ATT: Math ^-^


"Do começo ao Fim"

ATENÇÃO ESSE TEXTO PODE CONTER SPOILERS

O primeiro longa da série de filmes "polêmicos" temos o longa "Do Começo ao Fim" escrito e dirigido por Aluizio Abranches. De produção brasileira "Do começo ao fim" conta a historia de Julieta, uma médica que, de seu primeiro casamento teve com o empresário Pedro, o filho Francisco. Seis anos depois, agora casada com o arquiteto Alexandre, nasce Thomas. Desde a infância, os meninos desenvolve uma relação afetiva diferente da qual outro irmãos teriam, a mãe, percebe isso, e quando questionada, apenas diz "o que eu posso fazer?". O filme da um salto de quinze anos, quando os rapazes tem 20 e 26 anos. Morando sozinhos a cena clímax do longa, acontece da sala, onde parados um diante do outro os rapazes, vão tirando suas roupas ate ficaram nus. A partir dai os dois assumem uma relação de namoro, o que causa um certo estranhamento para quem assiste o filme, já que essa relação não é vista como estranha, causando um ar de "filme de contos de fadas". Após algum tempo, um dos irmãos tem de viajar para a Rússia deixando o outro sozinho no Rio de Janeiro, local onde se passa a história. Outra cena que marca o filme é a cena em que os irmãos, fazem sexo via skype. Em certo momento do filme e sexualidade de um dos irmãos é colocada à prova, deixando um irmão com ciúme do outro, pois o que esta morando na Rússia, tem um possível envolvimento com uma garota. Movido por seu amor,e talvez pelo ciúme também, Thomas, o irmão que esta no Brasil ( spoiler forte agora) arruma suas coisas e vai morar com o irmão na Rússia, o filme acaba com os dois juntos no frio europeu. 
Muito criticado, tanto bem quanto mal, o filme trata de dois temas incesto e homossexualidade. 
"A evidência mais contundente de que Abranches se acha na urgência de sempre justificar a escolha que fez está no anti-clímax do filme, quando a orientação sexual de um dos personagens é colocada à prova. O simples fato de insinuar que a homossexualidade se valida porque o cara tentou e não conseguiu ser hétero já implode todo o discurso politicamente correto que o filme vinha martelando antes.
Considerando que Abranches não filmava há sete anos, dá pra fechar os olhos para os deslizes mais imediatos (a literalidade dos diálogos, o retrato estereotipado do argentino machão). Problemática mesmo é a sua aproximação do objeto: homens se tocando "para a câmera", o sexo tratado como uma vitrine e não como uma intimidade, a cafonice da luz do sol que banha corpos como se fosse necessária uma permissão divina (a permissão da mãe?) para Thomás e Francisco se amarem."
fonte: http://omelete.uol.com.br/"
"Para quem havia pensado que o cinema nacional não se renderia novamente a sequências empapadas na pieguice, como a do “fantasma” da mãe que nada com os filhos no mar, ou a da troca de carícias pela internet em uma cena-ícone da falta de talento dos atores principais, “Do Começo ao Fim” é uma mancha que poderia ser evitada, se não houvesse, entre os realizadores brasileiros, uma necessidade exacerbada de comprovar habilidade escolhendo os caminhos mais rápidos – e apelativos."
fonte:http://cinemacomrapadura.com.br/
em entrevista ao site "O globo" o diretor disse:
"- São movimentos lentos. É tudo muito suave no filme. Queria um clima harmonioso ..."
Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/do-comeco-ao-fim-de-aluizio-abranches-causa-polemica-antes-mesmo-da-estreia-3162138#ixzz3zmz9fyEu 
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. 


Tem alguma sugestão de filme, ou curta metragem para nosso série? Deixe nos comentários!



ATT: Math ^-^